terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

E aquelas pessoas que têm 40 anos e andam de aparelho na boca? Sem ofensa.


Então acontece que há umas três semanas atrás, a minha real pessoa visitou a senhora dentista e foi presenteada com um molho de ferros na boca. Vulgo, aparelho.
Acontece também que nunca achei piada a aparelhos nas bocas das outras pessoas e na minha ainda menos. Porque, meus meninos, para além de feio que mete dó, dói como o caralho. Não há amputação a sangue frio que chegue aos calcanhares disto. É um misto de nos estarem a esmurrar de três em três segundos com termos um cavalo atrelado aos nossos dentes a correr desenfreadamente. Papa Cerelac é, actualmente, a minha melhor amiga.
Prosseguindo. Como boa curiosa que sou, andei por essas internets fora a pesquisar sobre este bicho que me acompanhrá por um longo e doloroso ano e deparei-me com muita malta a dizer que, com aparelho, as pessoas ficam mais bonitas, mais atraentes, mais sexys. E, pasmem-se, há quem tenha fetiches com pessoas de aparelho. Verdade.
Eu até compreendo que o aparelho deixe as pessoas mais bonitas, mas é depois de o tirarem, minha nossa senhora! Qual é a beleza de ter um mamarracho na boca e andar a fazer boquinha de broche o tempo todo?
Melhor do que o aparelho em si, só mesmo as pessoas que metem elásticos de todas as cores nos brackets. Quais cores discretas? Queremos é um bracket de cada cor! Queremos é uma recriação do mundo da Floribella na nossa boca! OH, coisa mai' linda!
A sério, aparelhos nos dentes é a pior coisa de sempre a seguir a gajas que usam leggings como se fossem calças. E eu nunca tive grande atracção por pessoas com aparelho (ok, era nula) portanto compreendo que ninguém me venha bater couro nos entretantos. Mas fica já aqui bem claro que não me agrada.
E já disse que quando nos dão beijinhos na cara com um bocadinho mais de força começamos a sangrar das bochechas e dói tanto que vamos ao céu e voltamos com o cu a arder? É.

7 comentários:

Ventas.. disse...

Tou a ver que aderiste ao movimento de sadomasoquismo dental... cada um tem o que merece ;) ... mas vê o lado positivo... ficas com um parachoques novo... ;)

Bitor disse...

mete no facebook a foto quero te te gozar!

Luna disse...

tem lá muitas Bitor, tem lá muitas.

Bitor disse...

vê se não sais de casa quando estiver a relampejar

asmo lündgren syaliot disse...

como já grafitei e repito

há muitas coisas que podes meter na boca

tenhas 9 ou 99 ânus

não compreender que os outros de que te ris são iguais a ti...é

ELA Era tudo e sobretudo. Ela tinha tudo. Sabia tudo.
Comparada com ele,ele não era nada.
A única coisa que ela não era era sua, por isso esse nome E.L.A.
Mais ou menos como ETA ou PU ETA

O nome não conhecemos, apesar de seu nome estar na boca de milhões.

Impossível passar por ela. Não percebia isso de modo fácil. Ela sempre se perdeu entre os gostos. Ninguém se preocupava com ela senão ela. Ela não precisa de ninguém. Ninguém, exceto ela. Seu amor por ela que ela carregava desde a infância. Garotinha notou-ela, de alguma forma ela sentiu que era o eu próprio e estar com ela toda a sua vida. E assim aconteceu. Quando os outros estão observando cuidadosamente os seus altos e baixos, discutindo suas ações. Ela apenas observava silenciosamente ela, não julgando ou elogiado, mas só por pouco. Ela consultou-se com ela. Ela estava sempre pronta para lhe mostrar o caminho certo. Sua vida foi como a palma da sua mão,com linhas a menos mas ninguém sabia muito sobre ela como ela. O relacionamento delas sempre foi a sete chaves. Ela veio a ela apenas. Silenciosamente subiu na janela dela e sorriu discretamente, enquanto ela não notou a sua própria presença. Ela aproximou-se dela com amor e ternura, olhando para ela, tão pequena e frágil, a brancura cintilante dela na luz do luar. Ela disse o quão entediado seu dia, com ela. Compartilhados todos aqueles segredos que assim quis partilhar, enquanto ela não estava com ela. E quando com os olhos fechados pela gravidade ela adormeceu, ela estava ao lado dela. E custou a acordar no meio da noite, ela sabia que ela sempre encontra ao lado dela. Ela não vai sair calmamente vai mantê-la a dormir até de manhã. Mas quando a luz do sol invadir seu novo dia,elas apenas elas silenciosamente desaparecem sem deixar vestígio.
Às vezes, ela permitiu-se chegar perto dela. Porque ela era tão pequena e triste, fria e aborrecida. Sua vida foi-se todos os dias Não foi sem glória, sem majestade Não. Todos, exceto ela a sós. E ela é ela até ao fim.

é?
é...

Anónimo disse...

dói como o caralho, tu lá sabes!!!

Mia disse...

Primeira vez que tenho o prazer de presenciar este blog e não poderia deixar de comentar este post! Meu Deus como a percebo... raios partam às cores folclóricas do elásticos. Ainda tento usar os transparentes para nao saltar tanto a vista, mas cada vez q sorrio para uma pessoa (des)conhecida levo logo com a boca "ah!tens aparelho!". Baixa-me logo o ego por completo... força aí nos primeiros meses, as dores vão ser terríveis..