sábado, 19 de junho de 2010

Odeio caracóis


Alguém que me explique o sentido desta coisa, que eu não percebo a ideia. (Partindo do princípio de que a arte exprime uma ideia e do sub-princípio de que isto é arte)

Luna

23 comentários:

Valmont disse...

eu acho que se imaginares a senhora sem pernas e a "rastejar" vais perceber a arte...arte porca, mas arte...arte langonhosa, mas arte...
mas isto sou eu que vim de férias com um sentido crítico fora do vulgar e realmente sou muito bom a analisar estas coisas porcas...

L.O.L. disse...

@Valmont
Não vejo Arte nenhuma nisto. (Porca ou não).

Luna disse...

Valmont, é uma arte feia.

L.O.L, também começo a cair mais para esse lado, mas...

Catarina disse...

É a arte de enojar as pessoas!!

Hapi disse...

Até acho que a foto está gira, agora se é arte ou não...

Luna disse...

Catarina, enojar? que ideia essa, está tão lindo.

Luna disse...

Hapi, normalmente, fotografia é arte.

Anne disse...

eu cá só acho que, sendo arte ou não, deve fazer cocegas!

Luna disse...

Anne, é uma boa conclusão de facto. podia fazer mais (cócegas) se fossem formigas.

Bitor disse...

NAO percebestes???
BABA DE CARACOL!!!!
rejuvenesce a pela neste caso a pita

Luna disse...

Bitor, POIS É! opá tu quando queres até és inteligente. sim senhora, estou admirada.
eu há pouco tempo escrevi sobre baba de caracol não escrevi?

Bitor disse...

ya!
mas inspirei me nos reclames da tv

█► JOTA ENE ◄█ disse...

ººº
Escargot.... neh !!!

Helel Ben Shahar disse...

Não sei se será arte, mas creio que o objectivo aqui é sugerir ao imaginário feminino como seria a sensação de ter várias formas com uma consistênca entre o mole e o firme paseando-se lânguida e lentamente entre as pernas. :)

Não deixa de ser uma analogia curiosa...

Luna disse...

Helel, opá mas caracóis? não podiam ser... sei lá, pega-monstros? :)

Helel Ben Shahar disse...

Luna, os pega-mosntros não se arrastam. Diz-me, considerando a analogia, qual o interesse disso? :)

Luna disse...

oh e qual é o interesse deter caracois nas pernas?

Helel Ben Shahar disse...

Caracóis? Nenhum.
Mas parece-me que o autor da fotografia não tem em mente caracóis...

Or is it just me?

Luna disse...

tu não estás a comparar uma pila a um caracol pois não? opá...

Helel Ben Shahar disse...

Não, não, não, Luna... quando falava de "formas com uma consistênca entre o mole e o firme passeando-se lânguida e lentamente entre as pernas", falava de uma analogia com línguas.

Mas conseguiste ser mais rebuscada do que eu, o que me agrada.

Luna disse...

mesmo assim, a minha língua é tudo menos um caracol!
mas sim, agora depois de teres falado nisso, parece-me que foi essa a ideia que o autor da "obra" (?) quis transmitir.

peço desculpa pelo meu "rebuscadamento"

Helel Ben Shahar disse...

Não duvido nada de que não seja, até porque os caracóis são menos flexíveis do que a língua e só andam a uma velocidade, o que não acontece com as línguas... mas isso são contas de outro rosário. :)

Não peças, pessoas capazes de pensar para além dos limites, com rebuscadamento, fazem falta, cada vez mais.

Luna disse...

tens a certeza que as línguas são mais flexíveis do que os caracóis? aquela bodega (os caracóis) dobra-se toda, quase que faz uma bola e o caralho a sete! as línguas não tanto.

isso é mais ou menos um elogio ao meu rebuscadamento, não é? obrigadinha!