sábado, 16 de julho de 2011

Das coisas que eu não gosto na blogosfera



Já se sabe que isto da vida blogosférica tem muito que se lhe diga, que há blogs bons e blogs maus, blogs interessantes e blogs desinteressantes,  blogs bonitos e blogs feios. Já se sabe que há blogs para todos os gostos, que quem gosta segue e que quem não gosta fecha a página. Mas acontece que por trás de um blog há sempre um blogger e por trás de um blogger há sempre uma pessoa. Depois há quem diga que um blogger não é mais que uma personagem fictícia, criada por alguém com um qualquer tipo de insatisfação com o objectivo de preencher esse buraco ou o que seja. Basicamente diz-se por aí que o blogger é diferente da pessoa real, que o blogger é aquilo que a pessoa real não pode ser. Patranhas. Eu não acredito nisso. Para mim, um blogger reflecte parte daquilo que o seu "criador" é na realidade. Passo a explicar.
Acho que ninguém espera que o blogger mais arrogante do mundo seja a pessoa mais simpática de sempre na realidade.
Também ninguém espera que um blogger que escreva mal e porcamente seja um espectáculo a falar na realidade.
Um blogger que se diverte a intrigar sobre outros bloggers e/ou pessoas não há-de ser alguém de confiança cá fora.
Um blogger que se dedica SOMENTE a escrever futilidades e parvoíces não há-de ser uma pessoa muito culta no mundo-não-blogosférico.
Entendem?
E tudo isto para dizer que eu não gosto de bloggers que maltratam os seus comentadores sem motivo ou razão, como diz o outro. Eu sei que às vezes há comentadores chatos, burros e mal-educados e sou apologista de chicotadas psicológicas e investidas violentas sobre esses. Sou mesmo. Mas acho inaceitável e puramente deprimente que um blogger maltrate o seu comentador, que até disse uma coisa inteligente e educadamente, só por não concordar com ele. "Ah não concordas comigo? Seu sacana, filho de uma grande vaca!". Como é que é isso? É à moda de Jesus Cristo e seus discípulos? Se o rei diz que o pão é queijo, o povo diz que sim de cabeça baixa?
Ainda há dias num comentário disse a uma blogger que ela se contradizia num texto que escrevera. Disse-lhe que não fazia sentido ela afirmar X quando na verdade fazia Y e que de qualquer das formas, não estava de acordo com ela. Disse-o educadamente e sem grandes confianças, até porque tinha sido a primeira vez que entrara no blog da senhora. E ela, sem mais nem menos, manda-me ir "para a cavalariça de onde vim, que não sou bem vinda ali", assim, pumba!, toma lá que já almoçaste. E eu fiquei um bocado parva e perdi o interesse naquele blog, obviamente. Então ela está a escrever para mim (e para outros como eu) e manda-me embora por eu não pensar como ela? Mas que bem!
Eu acho que isto só demonstra a "falta de chá" das pessoas. Eu, pelo menos, não espero grande educação na realidade de alguém que insulta os leitores do seu blog porque lhe dá na real gana. Nem sou capaz de a respeitar.
E é isto que me chateia na blogosfera, que haja pessoas mal-formadas, que se for preciso depois andam a falar da falta de educação alheia.
Outra coisa que detesto é que apaguem comentários que me deram trabalho a fazer. Já não me acontece desde que comentei no "amor e afins" - se é que me faço entender - mas não gostei das vezes em que me aconteceu. É infantil. Se eu fosse cuspir "sua grande cabra!" para algumas caixas de comentários, o comentário ficava lá e até tinha direito a uma resposta brejeira à altura, mas como o comentário por acaso até é educado e contradiz o que sua excelência o blogger todo poderoso escreveu, não convém que permaneça visível porque é uma grande pouca vergonha, para não dizer heresia. Enfim, uns morrem, outros...

8 comentários:

Rita Jovi disse...

Essas atitudes são mto tristes. Se não é pra ter uma opinião diferente, pk é que as pessoas publicam os seus textos na net??
Enfim...!

ana disse...

... ficam assim! É verdade. E este texto está muito bom!

Miss B disse...

Na verdade essas pessoas só querem as críticas positivas. Querem mostrar a outras pessoas que as seguem que são adorados e tal e que os textos são porreiros e meio mundo concorda. São raros os blogs que visito em que encontro uma crítica pouco positiva com uma boa resposta da parte do blogger. Mas acho muito bem Luna que aceites os teus e lhes dês uma lição respondendo como deve ser.

Natália disse...

Acho que o blog é aonde o blogger (pessoa) expressa-se exatamente como é, concordo com você em gênero e em n´´umero :)

Não gosto quando deletam meus comentários e procuro tratar meus visitantes da menlhor maneira possível

Sorry i cant fly... disse...

De pleno acordo com você. O blog é um "cantinho" especial a que nos dedicamos de corpo e alma. Somos sim o que transparecemos aqui. Não é pq o blog é erótico q precisamos andar vulgarmente por ai. Aqui colocamos nossos sonhos, desejos, fantasias. Não se aperreie com tais indivíduos. Não vale a pena. Adorei seu "cantinho"...rs
Bjlhões.

. Sofia . disse...

Li isto no G+ e gostei muito.
Concordo.
Por exemplo, eu conheço uma blogger e sei que tudo o que escreve é, simplesmente, mentira. Isso reflecte que ela fora da blogosfera é uma frustrada. E é. lol
Quanto aos comentários, eu às vezes fico parva. É como dizes, uma coisa é quando os comentadores são mal educados e merecem ouvir/ler das boas; outra é quando contrariamos algo com toda a educação... Acho mesmo mal que os bloggers comecem logo a insultar. Se me tivessem feito o que te fizeram, haviam de ter uma resposta muito pouco simpática.

O texto está muito bom. Mas ficou ainda melhor por ter sido lido, logo depois de ter estado a ver um exemplo disso que tão bem descreves.

AdamWilde disse...

O blog é um espaço onde o blogger se expressa e diz aquilo que por vezes não tem coragem para dizer ou pessoas para ouvir... No entanto irrita-me profundamente quando aqueles senhores anónimos comentam os blogs a insultar o blogger e o próprio blog, dizendo que ninguém quer saber da vida desse blogger e mete uns não sei quantos nomes menos educados à mistura. Epah, aí ou não se publica mesmo o comentário ou então dá-se uma resposta á altura. O problema é que (e agora falo de mim) os anónimos são tantos que nem vale a pena responder, leio, rio quando dá para rir e penso na pobreza de espírito de certas pessoas.

PATRÍCIA ALVES DE OLIVEIRA disse...

Adorei o post