domingo, 19 de junho de 2011

Prosa e poesia!


Hoje descobri que amor é prosa e sexo poesia.
Comecemos então pela prosa, uma escrita confusa e cheia de porquês e quês, uma escrita onde ninguém percebe o que ali se quer dizer mas que as palavras entrelaçadas umas nas outras até soam bem, tal como no amor, não se tem de sentir, tem de se viver e fazer, vivemos para o fazer porque se não o fizéssemos já ninguém estaria aqui. Prosa, o amor, é uma coisa sentida, uma coisa de dois indivíduos num só, ver o amor é bonito, fazê-lo pode não ser tão bonito mas é bom.
Acabada a prosa , passamos para a poesia que dá inicio a muitas prosas, dizendo num português claro o sexo leva ao amor, se bem que o amor também leva ao sexo mas são coisas diferentes, a poesia é uma escrita clara e objectiva e acaba sempre ou quase sempre em rima, usam e abusam do sexo só porque é bom e apetece podendo até não se conhecer a outra pessoa de parte alguma mas ao dizer-lhe um poema a pessoa sabe o que se vai passar e que não passa dali, dizem isto na esperança da prosa nunca vir a chegar...
Sexo vem dos outros e vai embora, amor é para sempre ou não.
Tudo isto para não dizer nada de jeito e ter uma conclusão de nada pois até onde há muita prosa existe muita poesia, e tão boa que é a poesia crua e dura!

1 comentário:

MisterCharmoso disse...

Confesso que fiquei confuso, ou entao e do adiantado da hora