domingo, 13 de março de 2011

Há uma nota de rodapé no final deste texto, em jeito de explicação

Sobre esta coisa da geração à rasca.
Acontece que ontem foi a Manifestação da Geração à Rasca. Acontece também que eu não participei na Manifestação da Geração à Rasca. E não participei na Manifestação da Geração à Rasca porque não atrai a minha atenção em nada.
A meu ver, é só uma brincadeira parva de quem acha que depois das cenas que têm ocorrido no Egipto, o que é fixe é fazer revoltas de rua por tudo e por nada, porque não percebem que o que aconteceu no Egipto não foi só uma manifestação de rua idiota. Não percebem que no Egipto não se limitaram a cantar ou a gritar, não percebem que a coisa no Egipto foi "a sério", que houve pessoas a magoar-se, que houve fogo e houve armas e houve ameaças perigosas. Pensam que foi só uma manifestaçãozeca, como aquelas que se fazem pelos direitos dos homossexuais. Pensam: "Olha, mataram o gato da Marília com uma pressão de ar, vamos revoltar-nos!", "Olha, a Júlia Rita partiu uma unha, vamos revoltar-nos!". Eu aposto o rim direito em como quem organizou esta coisa toda não sabe o que é estar, efectivamente à rasca. "Olha aumentaram os impostos e a vida está fodida, vamos manifestar-nos!" porque, de facto, se nos manifestarmos como se manifestaram ontem, o dinheiro que as empresas PRIVADAS gastam em futilidades vai ser distribuído pelas carteiras de quem estás "à rasca".
Mas pronto, a manifestação deu-se na mesma, entre chuva, latas de cerveja, cantorias, muitos sorrisos e um ou outro "Opá esta coisa de manifestações é bué de fixe! Temos que fazer mais vezes man!", porque uma manifestação de suposto descontentamento, o que pede mesmo é um sorriso na cara, música e desejos de repetição!
Podem vir dizer-me que apesar de uma parte das pessoas que foi à manifestação não saber o que é estar à rasca, o que conta é a solidariedade para com quem está e o apoio de todas as classes. Esse blabla muito lindo. Mas eu digo que uma coisa destas não pede solidariedade. Uma coisa destas não pede palmadinhas nas costas nem guinchinhos de pseudo-revolta. Uma coisa destas pede acção, pede greves, pede elevação de vozes mas com as provas, os documentos, a papelada que nos dá razão a nós. Uma coisa destas pede empresas fechadas a cadeado, pede a nossa imposição. Não pede cerveja. Pede revolta a sério, pede mostras de descontentamento a sério.
Porque, digam-me lá, o que é que a manifestação de ontem já mudou no nosso país? Os salários já aumentaram? Os impostos já desceram? Todos os estudantes a fim de terminar o curso já têm emprego garantido? NÃO.
E é por isso que eu não dei grande importância a essa manifestação(zeca), só por isso. Porque é idiota tentar resolver as coisas desta forma.
E só em jeito de não-sei-bem-o-quê, sou profundamente contra o facto de chamarem à minha geração "Geração à Rasca", "Geração Parva" ou "Geração Deolinda" e recuso-me a fazer parte de uma geração com esse nome.


*esqueci-me de publicar os dias em que cada membro do blog teria que escrever e portanto tomei a liberdade de escrever esta coisa em jeito de "deixa-me lá impedir que o blog fique parado tanto tempo".

16 comentários:

Geração à rasca disse...

ainda bem que assim pensas, mas cuidado que algum dia podes vir a precisar de ajuda e esta geração "à rasca" pode mandar-te dar uma grande curva, porque já estou a ver que a tua ideia de fechar empresas a cadeado e assim, é só para se ter um dia de ferias, mas as pessoas não querem ferias ou um dia de manifestação sem trabalhar, querem trabalhar, mas com certeza não sabes o que é trabalhar.

Luna disse...

então estás a ver mal qual é a minha ideia ;)
sabes o que é que foi a manifestação de ontem para uma grande maioria das pessoas? alcool, droga e diversão.
se querem ir para a rua gritar, vão gritar soluções, não gritem problemas. os problemas já toda a gente conhece.

M disse...

Luna, desculpa, mas discordo completamente. Eu admito que sou um dos jovens da Geração à Rasca. Estudo na chamada melhor faculdade de direito do país.
De nada matar-me a estudar, pois se não tiver um bom nome de família as minhas notas não passam do 12, e sei que assim quando acabar o curso ali vou viver à custa da Segurança Social (espero que ainda exista quando precisar!) Sou bolseiro de bolsa reduzida e nem quero imaginar quando este 4º PEC for aprovado. Tenho medo do futuro e por isso apoio este protesto!

Não digo que uma manif muda a situação do país, mas ajuda!

Luna disse...

eu acho que não ajuda. a manif de ontem não mudou nem vai mudar nada.
apesar de a intenção ser espectacular, acho que não estão a agir da forma mais produtiva.
mas é a minha opinião e vale o que vale.

Mia disse...

Não costumo tirar partidos, gosto de ter a minha própria opinião nascida do nada, mas desta vez concordo em parte com a Luna. A Manifestação que ocorreu no dia 12 de Março, acredito que pouco ou mesmo nada valha para mudar o que está mal neste país. Pouco inteligentes foram os que votaram pela segunda vez no sócrates para primeiro ministro, pois ainda nao conseguiram perceber q o que ele diz de manhã já nao é o mesmo q diz à noite. Agora vejam lá se isto serviu para abrirem os olhos e não voltem a ajudar para se repetir esta vergonha.. Anyway, estas manifestações só servem para a populaçao tentar mostrar o seu descontentamento ao governo e não propriamente para o mudar. Sim, porque o governo não muda por demonstraçoes, quer la saber de nós.. Bom post!

Alice disse...

Concordo totalmente contigo Luna e estou pasmada com a resposta do Geração á rasca quando dizem: "cuidado que algum dia podes vir a precisar de ajuda e esta geração "à rasca" pode mandar-te dar uma grande curva".
Esta é a mesma gente da Geração á rasca que vi a ser banida de uma reunião do PS?Pessoas que se quiseram manifestar realmente aos culpados da situação no pais?Nesse dia sim é que deviam ter entrado á força lá para dentro e fazer uma verdadeira revolta, nao é uma manisfestaçao, é uma revolta ou revolução, como lhe quiserem chamar. Porque só assim algo muda, não é com pessoas de mini na mao e a rirem-se dos Homens da Luta, enquanto deviam estar realmente fodidos como indicam os cartazes. Ou os cartazes é só mesmo para inglês ver? Agora são vocês que mais tarde mandam os outros darem uma curva só porque não temos a mesma opinião que vocês? Realmente...É dizerem mal do Sócrates mas fazem o mesmo que ele. Não me consigo identificar com o nome da geração á rasca ou com algo dos deolinda, isso são tudo fases muito bonitas, fases que passam com um abrir e fechar de olhos. O que se tem de fazer é realmente gritar , revoltar e realizar de algum modo uma revolução que como o nome indica não seja apenas para se manifestar, mas sim mudar este pais da treta. E M, a minha faculdade tambem é a mais prestigiada do pais em psicologia, todo o mundo dos negocios funciona, infelizmente, com cunha mas se tiveres um curriculum vitae como deve de ser nem que sejas filho do zé ninguem , encontras emprego, se ele ainda existir para alguém. O mal é esse...Já não há para ninguem..e os poucos que existem , o pais decide dar dinheiro á mao-de-obra estrangeira, o que é lindo (ironicamente falando, óbvio).
Aqueles que se intitulam geração á rasca, pelo menos esta que manda vir com opnioes contrarias...nao estao a fazer nada mais do que a projectarem o seu arrependimento de terem votado no actual governo.E mais nada tenho a acrescentar. Só me preocupo como os meus filhos irão viver nesta merda de pais.

Luna disse...

grande Alice. pronto, disseste tudo o que ainda podia estar por dizer. vénia :)

الرجل ذبح بعضهم البعض ولكن الخيول باهظة الثمن disse...

nã pá a tua gera são
é a gera são mimada
ou gera são mamada
já nem sei...

Fascista disse...

Vai à ...

Adelino disse...

Olha um Fascista .. Lol
Geração à rasca uma treta. Geração de rascas talvez. Só panilas a espera da Segurança Social. Desliguem a televisão e vão trabalhar seus esquerdistas sem ideias. Mais valia ir dar uma, sinceramante.

dead or alive! disse...

Isso dos estudantes atuais é tudo mt bonito, mas dinheiro para as festas há sempre. E falo como exemplo o politecnico onde ando em que para alem da queima, há mais 2 festas lá, fora aquelas em discotecas e assim... Mas para isso já não são uma geração a rasca.

So quando acabarem o curso é que estão a rasca.

agora para as festas, nunca ninguem está a rasca.

Luna disse...

Fascista, vai à frente que eu já te apanho :)

Adelino, talvez não fosse tão ao extremo quanto tu, mas em parte tens razão.

dead or alive, há muita falta de vontade de trabalhar à mistura, querem as coisas de mão beijada, é o que acho.

dead or alive! disse...

vergar as costas dá trabalho e pouco dinheiro.... e isso eles num querem...

cócó à rasca e fakada disse...

querem as coisas de mão beijada, é o que acho

eta raparigo trabalhadeiro

Valor Patriótico disse...

Cara "geração à rasca", com que então "política" do movimento é sintetizada em: "ou estás connosco, ou estás contra nós" ! Pronto, assim fica tudo mais esclarecido. Sempre me opus a à vossa luta deslocada, e virtual, mas agora já tenho razões para fazer um contra-movimento "à caralho, que é agora que os comemos". Sabes quem é que me fazes lembrar ? - Movimentos falangistas de extrema direita, mas sem a doutrina que educava as classes. O deprimente "movimento à rasca", para além de ter um nome bastante infeliz, tem falta de uma coisa muito importante chamada "visão estratégica", ou por outras palavras, identidade e objectivos. - Esse virtual movimento de massas não é mais do que uma pobre, e francamente triste representação anárquica das massas mais jovens. Em 1960, quem estava "à rasca" emigrou, lutou pela vida, não se resignou a gritar para surdos. O movimento representa uma minoria desorientada, anarquista e mal estruturada, onde o vácuo da critica construtiva dá lugar à histeria de grupo, e à estupidificação generalizada. Abaixo os movimentos anárquicos, sem liderança e objectivos; Viva os valores patrióticos de uma geração orgulhosa em ser Português. Eu amo Portugal, eu contribuo para uma modernização activa do meu país !

Tásse disse...

e gera são Dá-o linda?