quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Factos

Depois de uma semana de trabalho que já conta com 50 horas, consigo arranjar este momento para escrever um rol de factos:
É absurdo que ao entrar neste blogue como editor, me seja mostrado a mensagem de aviso de conteúdo para adultos. E isto é só para começar porque venho mal-disposto! (Podemos dizer mal do blogger?)
Outro facto é que como seres humanos temos inveja de tudo o que nos pareça perfeito. É o nosso maior defeito. A inveja da perfeição é o móbil para as coisas mais absurdas à face da terra.
E digo isto porque estive ali a beber um café, e enquanto fumava um cigarro, filosofei um bocado e chaguei a esta conclusão.
Logo à tarde tenho uma visita ao ministério de trabalho só para perguntar se acham bem eu andar a fazer estas horas todas. Uma vez que estão previstas cerca de 200 para este mês.
Perturba-me saber que estamos à beira de um governo se demitir em breve, mas o que importa é este ultimo jogo (sem prestar atenção ao dinheiro gasto em segurança).
Outro facto é de eu usar o Openoffice e achar que está muito aquém do Office 2007. É francamente uma desvantagem para um utilizador LINUX. Temos de ter em conta de que é de borla... mas as formulas na folha de calculo não funcionam tão bem como no Excell.
Estive tentado a trocar o meu carro por Smart, mas aquilo ainda não me convence... aquele barulho daquele motor... nah.
Aquiles tinha apenas tinha um calcanhar como ponto fraco, sortudo!
Outro facto não menos importante é que cada vez que é nomeado alguém para chefe na função pública, este encarrega-se logo de não de assumir o cargo, mas sim de assumir a postura, aquela postura de brochista, de quem vai quilhar a vida a todos, de não fazer um caralho, de ter uma secretaria, de empancar tudo, e receber palmadinhas dos seus chefes superiores. Pois, isto é um facto.
Está na natureza humana, ser um empata-fodas. Vê-se muito neste país.
No fundo são uns tristes, uns falhados nas suas vidas pessoais, casamentos arruinados, filhos drogados, más-partilhas, dividas ao fisco, a solidão da riqueza. Vê-se muito disso, até demais.
Nas bombas onde vou tomar café abandonaram um AUDI A8. Ali, dinheiro suficiente para pagar a minha casa. Ou contribuir grandemente para a minha casa. Ou esses cabroes que passam por um gajo com carros que custam mais de 200.000 EUROS... um atentado! Um atentado à nossa condição, uma injustiça o nosso conceito de liberdade... liberdade de quê afinal? De ir a uma biblioteca e requisitar um livro? Já nem tenho tempo para escrever aqui, quanto mais ler um livro. Viva a ignorância! Qual vida social qual carapuça, trabalhar par subsistir é uma sorte que mais de 10% da população gostava de ter. Nem isso têm.
Estamos condicionados a ser gozados, a ser humilhados por um governo sujo, corrupto e sem escrúpulos.
Estamos metidos no meio de um povo que teima em não querer saber dos factos. Factos só em numero, numero de golos ou de faltas. Falta de apoios ao futebol não não faltam, é como um calmante, fica o povo todo dormente. É como mandar um chuto. Mas mais barato.
Uma forma limpa de fugir a tudo, um escape, um vicio.
É um facto que não temos estômago para enfrentar a verdade e preferimos a mentira à verdade, e é por isso que aceitamos tanta mentira. A falência.
Foda-se, e com isto não fui ao ministério do trabalho, se é lá que tenho de ir...
Já nem sei se vale a pena, ou se é agora ou nunca.
É como entrar por uma caverna a dentro, pelo escuro húmido adentro, apenas se ouvem sons horrendos vindos do fundo, de criaturas horrendas, do nosso subconsciente.
Escavamos, escavamos sem descanso. Mas para surpresa das surpresas o que encontramos pode não ser bonito. É também um facto.
E apenas para banalizar um pouco: é preciso ar fresco!
É preciso sair deste buraco, deste pesadelo, desta merda toda! Ou dito de outra forma: muitos de nós estamos metidos numa granda merda! (Isto pode-se dizer?)
É um facto que recebi um implante de uns colegas meus que vivem num planeta muito mais evoluído que o nosso e não muito longe da VIA LÁCTEA, é uma antena em forma de cabelo e que me permite receber mensagens de outro planeta, e por vezes também passa musica. É pena ser branco.   
É também um facto que posts muito grandes acabam por nunca serem lidos, ou talvez na verdade acabemos todos por não ser lidos.
Talvez acabemos todos criminosos num crime comum, talvez muitos venham a achar uma mais valia acabar preso do que lutar por uma consulta num dentista, visto que lá dentro é de borla.
Acabarei lutando por fazer carreira, e provavelmente quando lá chegarei, já serei eu também um carrancudo, já terei uma carapaça, já não me importarei com o sonho subconsciente, nem quero saber de mais nada a não ser de um belos tintos, uns tintos para esquecer tudo aquilo que se perde enquanto se persegue um sonho...  ou então aguenta-se, aguenta-se até que explodimos e mandamos tudo pelo ar, partimos tudo, não deixamos nada inteiro!...
Tudo isto são factos. São factos contra os quais não tenho argumentos.

12 comentários:

Masquediabo disse...

Vai haver segunda volta nestas eleições, não vai?

Miss Qualquer-Coisa disse...

ei ganda filósofo!

Inês disse...

Estás com o sentimento de qureres que metade deste mundo se mate e que a outra metade se foda!!!

Luna disse...

fumar faz mal. juro.

Masquediabo disse...

Miss Qualquer-Coisa:
Eu tanto escrevo ministerio do trabalho como ministerio da cultura ou primeiro ministro tudo em letra pequena.

Masquediabo disse...

Inês: Tenho um sentimento desses de tempos-a-tempos.

Masquediabo disse...

Luna: pois faz. E está escrito nos maços de tabaco. Juro.

Masquediabo disse...

Votem em mim!

digital infor disse...

E que é que lê o que está escrito nos maços de tabaco?
Eu quando quero ler não compro tabaco, compro o jornal.

Masquediabo disse...

Digital Infor: Coisas muito interessantes no teu blogue!

caminhante disse...

o que comentar quando está tudo dito e, infelizmente, muito bem dito? é triste.

Masquediabo disse...

Olá caminhante!
Obrigado pelo comentário, e é triste, e um facto é que temos uma classe politica abominável e causadora de um mal estar enorme.
E nós, ou pelo menos eu, saltito de humor constantemente por causa de uma politica "contra-produtiva", e uma tentativa de manter bom humor, bom ambiente de trabalho, em casa, etc... Sinto que estou constantemente a lutar entre a insatisfação e a frustração, contra ideias preconcebidas e no fundo, e na minha vida teria supostamente tudo para me alienar de toda esta embrulhada em que estamos metidos. A verdade é que não vivemos isolados do resto, e somos sensíveis ao que nos circunda, e assim partilhei neste espaço, o meu pensamento, um conjunto de pequenos pensamentos que não ganham uma forma de reflexão, são apenas pequenos momentos do nosso dia, que de certo ocorrem a muitos de nós.