terça-feira, 6 de abril de 2010

Uma vida normal - Capítulo 1

Já não restava qualquer gota de álcool naquela casa.Ele bebeu as 5 garrafas que me tinha mandado comprar no dia anterior. Veio ter comigo com a última garrafa de álcool na mão vazia e ordenou que fosse comprar mais. Recusei. Tive de o fazer. Não podia continuar a sustentar aquele vicio. Ele insistiu. Recusei outra vez. Levantando a voz ele insistiu mais uma vez. Disse-lhe o que devia ter dito logo no inicio: “- Não. O álcool não a vai trazer de volta e tu sabes bem disso. Ela morreu. Aceita isso. Eu aceitei. É dificil, eu sei... mas a vida continua e eu tenho a certeza que ela gostaria que eu fôsse feliz. Que tu fôsses feliz. Ergue a cabeça e vive. Por favor pai, não consigo mais viver assim.” Ele Levantou a voz e insultou-me de todas as maneiras possiveis . Berrou e berrou por toda a casa. Tentei afastar-me dele mas ele perseguia-me. Arrependi-me de lhe ter dito aquilo. Agarrou-me no braço e levou-me à força até à porta da casa. Abriu-a. Empurrou-me. Caí esmurando os joelhos. Ainda no chão olhei para ele. Não consegui segurar as lágrimas. Ele tinha-se transformado num monstro. Estava controlado pela raiva e pelo vício. Atirou a garrafa de álcool vazia que tinha na mão. Ouvi-a partir-se mesmo ao meu lado.

- Não serves para nada. Vai-te embora puta do caralho e não voltes mais à minha casa! Tu é que devias ter morrido. Não ela...

Fechou a porta. Fiquei no chão sem me mexer quase uma hora. Estava em choque. Levantei-me. Começei a correr coberta de lágrimas e sangue. Não conseguia acreditar no que ele me tinha acabado de fazer.Corri sem destino. Corri até o meu corpo não aguentar mais. Deitei-me num jardim qualquer. Respirei fundo. Limpei as lágrimas que teimavam sempre em voltar. Respirei fundo mais uma vez. Olhei o céu estrelado. Perdida naquela imensidão e numa dor agonizante, adormeci.
(...)

16 comentários:

Bitor disse...

eu tb fiquei assim .....
tb lhe tiraram a playstation?

:P

Sara sem Sobrenome disse...

Olha, pondo o sentido de humor de lado e falando sério.
É a realidade de muita gente, infelizmente. E muitos têm o azar de ser violadas. É de lamentar. Bem, gostei imenso desta história. Este tipo de merdas, mexem-me com o sistema nervoso. Fico fodida por não conseguir fazer nada. E tu sabes bem, que este assunto esteve semi-presente na minha vida há muitos anos atrás. Puta de vida. Enfim... antes de ficar aqui uma nostalgia, vamos mudar de assunto.
Bem, o que eu me ri com o comentário do Bitor. Fogo meu... muito bom mesmo. Assunto super sério e ele vem perguntar se ficou sem playstation... demais. Até chorei.
(Já viste as horas?Medo. Desculpa o comentário ser grande)
Beijo e dá-lhe Carmelita.

Sara sem Sobrenome disse...

Ah e eaqueci-me de dizer que a morte de certas e determninadas pessoas na nossa vida, pode levar-nos à loucura, apesar de não servir de desculpa. E agora vou dormir. Já dei tudo o que tinha a dar por hoje. Estou totalmente desfeita. Parece que estou drogada. Credo.
Beijo e abraço para toda a gente.

Cláudia Neves disse...

Gostei muito desde texto,é impressionante.
E apesar de ser triste ficou lindo.

Carmelita disse...

Bitor
Qual playstation qual quê?
Foi a xbox, e se à coisa que uma gaja tem de perceber é que nunca pode tirar o brinquedo ao gajo senão leva na fuça.
Ela é que o picou!

Carmelita disse...

Sara sem Sobrenome
Eu nem acredito que consegui escrever esta pérola. Lá no fundo sou uma vagina miseravel!
Agora que li isto até me deu vontade de chorar FODA-SE. A continuação não pode ser tão deprimente. Tenho que pedir umas ideias ao BITOR!

NÃO PERCAS O PRÓXIMO EPISÓDIO PORQUE NÓS TAMBÉM NÃO!

Carmelita disse...

Cláudia Neves
Obrigado mesmo.
Finalmente alguém que aprecia os meus texto, estou mesmo muito agradecida.
Nunca escrevi um texto tão sério na minha vida e por acaso, por estranho que pareça, até gostei.
Pretendo continuar a história e espero não te desapontar nos próximos capitulos.

beijo

Rikardo Ramos disse...

Fico á espera anciosamente do proximo capitulo! :D
Gostei muito!

Sara sem Sobrenome disse...

Opá, qual deprimente qual quê. Tive umas ideias genias para a continuação. Carmelita, fascinaste-me. Não queres, por acaso, casar comigo? Não sei, é uma possibilidade. :)
E o Bitor, tem de facto, ideias fantásticas.

Sara sem Sobrenome disse...

Rikardo Ramos

Muito obrigada. "Mi aguarda" Mal tenha tempo, venho cá postar o próximo capítulo.
Beijo

Kipo disse...

Olá!

Um texto bem escrito e cativante, não obstante o assunto sério.
Gostei!

Bjs,
Kipo

Carmelita disse...

Sara sem Sobrenome
Eu caso-me contigo e convidamos o bitor para o casamento. Concordas?
Claro que concordas eu sou o homem na relação e tens de me obdecer senão levas na tromba. Até te deixo continuar a história para demonstrar o meu amor por ti minha bomboca.
Quero fazer "sequesso" contigo agora! Ó como te desejo...

Carmelita disse...

Kipo
Nem imaginas as horas que passei a olhar para o teu comentário. Ui, jasus. Achei incrivel vque uma pessoa que escreve "obstante" estivesse a ler e a comentar um texto escrito por moi.
Ó yeah, sinto-me importante!
Muito obrigado.

Sara sem Sobrenome disse...

Carmelita, essa ideia agrada-me.
Gostas de dominar é? Ena...
Bem, convidar o Bitor? Pode ser. Não sei é se ele quer. Não me parece. Estará ele a fim de uma menage? Não sei, não.
Quanto ao fim da historia, vou tentar, não sei se consigo estar ao teu nível...
Fazer sequesso agora, é complicado. Pode ser virtual?
Beijo

Carmelita disse...

Sara sem Sobrenome
O bitor não vai tem coragem de recusar estas febras? tás tolaaaaaaaaa!
Eu sei que sou um génio com as palavras mas com umas lições também vais lá. És uma gaja inteligente!
Virtual? por mim tudo bem apesar de preferir corpo roça corpo. Vai ao msn e liga a webcam meu naco de carne fresca. Te espero ;)

Sara sem Sobrenome disse...

Carmelita
Olha que há homens muito panisgas.
Espera, vamos com calma que eu ainda sou virgem tá bem? (cof cof cof cof)
E sim, sou bastante inteligente! Yeah right!
MSN? WEB? Uh, agrada-me. Enquanto isso, liga-me, só para parecer mais real, sei lá. :)
Beijo